terça-feira, agosto 07, 2007

[Música, séries] Breve História do Jazz (8) - Chicago anos 20




O jazz nos anos 20 muda de endereço; como vimos no capítulo 5 ,a emigração do sul para o norte fez com que músicos tentassem a vida em Estados mais ricos e é curioso que as primeiras gravações clássicas do estilo Nova Orleans sejam feitas todas em Chicago. Alguns dos primeiros inventores do Jazz morreram sem deixar registro – Buddy Bolden é um deles – porém uma “segunda geração” tem a oportunidade de gravar –20 anos depois – o som que desde o início do século se fazia em Nova Orleans.
Três nomes se destacam dentre desses músicos ; Jelly Roll Morton, King Oliver e Sidney Bechet.
Jelly Roll Morton é considerado o maior compositor desse estilo do seu tempo; creole, criado nos cabarés de Storyville – o bairro “da luz vermelha “ de Nova Orleans- começa dedilhando o piano ao estilo ragtime combinando inventivas harmonias. Digno de uma biografia levada aos palcos da Broadway, Morton ganhava a vida como músico, jogador de bilhar, mestre de cerimônias em casas noturnas de freqüência duvidosa e talvez gigolô. Toda essa experiência de vida e um profundo dom da “falácia” levou Morton a desenvolver um marketing pessoal enorme e sem dúvida, foi o primeiro líder de banda a interagir com o público, contar anedotas e dizer uma frase não melódica no meio de uma execução musical. Além do talento para a composição – deixou mais de uma centena de gravações – Morton era um bandleader por natureza. Como diretor de banda tinha o domínio completo da interação de um conjunto, tratava musicalmente a banda como um todo,elemento fundamental do estilo coletivo de Nova Orleans . Uma gravação recomendada é “Sidewalk blues”; o tema começa passando uma revista nos três instrumentos principais ; trombone, corneta e clarinete; logo a corneta executa uma frase melódica sustentada por um stop-time acórdico( do acorde).Esse tipo de técnica – em que a banda impulsa o solista com marcados acentos nos compassos 2 e 4 – é o estilo Morton de executar. Ao final do solo volta o estilo de contraponto que entrelaça as linhas do trombone,corneta e clarinete (marca indelével do jazz de Nova Orleans) e otra vez se retoma a técnica do stop-time, agora com o solo do clarienete. Além de um dos grandes compositores e bandleaders da primeira fase desse estilo, Jelly Roll Morton esteve presente na primeira gravação multi-racial do jazz. Aconteceu em Chicago,em Julho de 1923 entre ele mesmo e o grupo branco New Orleans Rhythm Kings. Todo uma lenda.

2 comentários:

agnes disse...

Onde você arruma essas fotos, darling? Muito boas!!

9h disse...

Relamente, as fotos são sempre animais! Só assim pra poder acompanahr essa história!