segunda-feira, agosto 13, 2007

[Cine] Série Paul Morrisey, Parte IV - Blood for Dracula






“Blood for Dracula” encerra a série das duas releituras cinematográficas que Paul Morrissey fez desses dois mitos da literatura mundial ; Frankestein e Drácula. Lançado em 1974, o filme também tem uma produção bem cuidada, com uma narrativa linear e filmado nos Estúdios da Cinecittá em Roma. Com uma bela direção de fotografia de Luigi Kuveiller, a película se distancia por completo do estilo Morrissey dos primeiros anos da Factory. A idiossincrasia do diretor surge no argumento ; nessa versão mais do que inusitada , Udo Kier encarna um Conde Drácula que só se alimenta de sangue de virgens ; sem ele, o vampiro estará condenado a passar toda a eternidade isolado na sua tumba, sem forças para sair. Seu jovem assistente lhe convence a abandonar a velha Rumânia e empreender uma viagem a Itália, um país de avassaladora moral católica onde proliferam as jovens donzelas. E claro, onde seu nobre título impressionará as famílias italianas. Durante uma estância em uma taberna local o vampiro se entera de que pelos arredores há uma decadente e nobre família com quatro filhas prontas para o Matrimônio; o pai das moças- interpretado pelo mestre Vittorio de Sica- vê com bons olhos a aproximação do Conde e o convida para uma breve temporada en sua residência. O que o secular vampiro não sabe é que as “donzelas” não são tão imaculadas como se imagina já que John Dalllesandro interpreta um camponês comunista que trabalha na casa da família. Com uma surreal participação de Roman Polanski, “Blood for Dracula” consolida a maturidade estética de Paul Morrissey. No próximo capítulo, “Flesh”.

Um comentário:

agnes disse...

Daí a nossa conclusão: Paul Morrissey também lia Nelson Rodrigues!