quinta-feira, julho 19, 2007

[ Música / Séries ] Breve História do Jazz (6) - Agora é jazz!!



O ragtime esteve pro final do século XIX quase como o rock and roll na década de 50 do século XX. Na América, era o ritmo das casas noturnas e se no começo foi mal vista e catalogada como música de “negros”, logo depois foi uma febre nacional. Os grupos de ragtime apareciam em cada canto do país e a quantidade de pianos vendida aos lares americanos nunca foi tão grande. As bandas de metais de Nova Orleães assimilaram e desenvolveram bem esse ritmo mas para se classificar como jazz faltava um elemento: a improvisação. É nesse momento que entra na História aquele que é conhecido como o “pai” do jazz : Buddy Bolden.

Segundo a lenda, deve-se a ele o começo das improvisações coletivas das bandas de metal além de dominar com propriedade a harmonia do blues e a partir dessa tríade, swing + improvisação + blues = jazz. Buddy tocava corneta e começou em grupos de ragtime até dirigir sua própria banda e nela, instaurar elementos improvisados. Filho de empregados domésticos, Bolden tirava boa parte de suas melodias das canções que escutava na Igreja Batista que freqüentava quando menino. Como vimos nos capítulos anteriores desta série, o blues influenciou diretamente o gospel e os hinos relogiosos e essa influencia se estenderia às primeiras bandas de jazz.

Segundo o crítico Ted Gioia, “ (...) mesmo que tenha sido hábito aclamar a Buddy Bolden como o “pai” do jazz, essas definições passam por alto a grande agitação musical em geral que se deu em Nova Orleães na virada do século. Muitos músicos – em sua maioria negros, porém também “creoles” e brancos – estavam experimentando com as síncopes do Ragtime e a tonalidade do blues e aplicando esses recursos rítmicos e melódicos a uma ampla gama de composições”. Ted aponta que ao princípio, essas técnicas serviam para embelezar uma melodia ou adornar determinado tema mas que depois essa elaboração evoluiu para improvisações mais livres. O que começou como experimentação terminou como prática formalizada.

É impossível registrar precisamente quando e onde exatamente começou essa prática porque tardaram vinte anos até as primeiras gravações de jazz serem registradas e Buddy Bolden morreu sem deixar nenhum registro de sua música. Ted Gioia afirma que “todas as nossas investigações indicam que em algum momento do final do século XIX um número cada vez maior de músicos de Nova Orleães tocava um tipo de música que, com a vantagem que nos da o tempo transcorrido, só pode ser definida como Jazz.”

4 comentários:

Anônimo disse...

Cada vez me deleito mais com teu conhecimento! Continue sempre assim, compartindo.

9h disse...

Márcio,

Quem são os "Creoles"? Suponho que mestiços, mas não tenho certeza. E de que tipo de mistura?

Vlew, Amic Mew!

Marcio Menezes disse...

Como vimos no capítulo dois, os "creoles" sao a mistura dos negros que vieram da africa com os colonos europeus de Nova Orleans, especialmente os franceses.

nina disse...

ê, 9h, não estudou a lição, hein? ehehehe