terça-feira, maio 08, 2007

[música / séries] Breve História do Jazz (3) - "Drop me off in New Orleans"



"Drop me off in New Orleans"


No começo do século XIX Nova Orleães era a cidade onde mais companhias de ópera, grupos sinfônicos, bandas de marcha e salas de dance-hall haviam na América; incluída tardiamente como território dos Estados Unidos, a cidade gozava de uma multiculturalidade incomum; franceses, espanhóis, irlandeses, alemães, ingleses..todos se encontravam em uma boemia regada a muita música nos bares e cabarés, mais tarde – como veremos mais adiante – essa conta iria chegar.

Era o único lugar do Novo Mundo em que se tolerava a manifestação cultural e religiosa dos escravos e eles tinham até um espaço para fazê-lo: todo domingo se juntavam na então conhecida Congo Square e ali dançavam e cantavam livremente. Seja para apresentar uma sessão rítmica ou de canto, o lugar representava uma verdadeira volta a Mãe-África, com danças coletivas e uma multidão reunida em torno de tambores e instrumentos feitos ludicamente pelos próprios escravos.

No começo de 1800 a metade da população de Nova Orleães era de negros. Nesse cenário de tradição e de tolerância cultural surgem os “creole” – resultado direto da mistura de raças que a cidade proporcionaria – filhos de pais de origens francesa, espanhola e africana : gente que além do inglês também domina francês e que se educou a moda européia. Em planos gerais: os negros de um lado manifestando livremente sua arte e sua cultura e do outro, os brancos com suas bandas de desfile e de marcha. Os escravos vinham com uma riqueza rítmica incontestavél, além da improvisação que fazia parte do caráter “comunitário” da tradição musical africana e os brancos com a formalidade das bandas de bronze claramente desenvolvidas para a harmonia.

No final da Guerra Civil Americana ocorre um enorme “saldo” de instrumentos de bandas militares e isso proporciona o advento de vários grupos que tocam para desfiles, enterros e em festas improvisadas nas intermináveis noites do bairro de Storyville. Os instrumentos básicos de Nova Orleans são a corneta, clarinete, trombone, tuba, banjo, bateria e violão. Segundo os pesquisadores americanos Ron David e Vanesa Holey a Guerra Civil não somente libertou os escravos, como também lhes deu cornetas.

3 comentários:

9h disse...

Que fotão animal!!! Aliás, todos os que ilustram a série hein!

E muito foda também o teu conhecimento. Manda ele pra cá. Me sinto um privilegiado.

Estou só ouvindo Ragtime e Dixieland. Já me preparando pro que vem por aí.

Bless you

Zócrulos disse...

To curtindo, tá bacana, tá legal...To virando a página aqui, esperando o próximo capítulo.

Nina disse...

Estamos adorando a Pequena Enciclopédia Menezes Cultural!